quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Um ano de Luna

Hoje a coluna é em homenagem a razão de ser deste blog: a Luna.

Um ano de Luna

Luna mudou completamente a minha vida e meus objetivos. Não poderia ser diferente. Mas, talvez por ser sozinha ou, da forma como foi, eu tive que rever conceitos e hoje posso dizer que minha filha funciona como uma espécie de lastro, que mantém o equilíbrio do navio – e da minha vida.

Há 365 dias eu sou a pessoa mais importante na vida de uma pessoa. Primeiro fui responsável por amamentar, trocar as fraldas, mantê-la quentinha e confortável. Depois vieram as cólicas. Eu dava meu colo, fazia massagem e a colocava em minha barriga de bruços para tentar aliviar as dores abdominais.

Nos primeiros dias, a achava muito frágil e a colocava em meus braços para dormir. Mesmo exausta, meu sono era de vigília. Além de me preocupar com meu bebê, eu achava que tinha que “proteger” a casa. Mais tarde, percebi que esta função era do homem e, por não ter um em casa, eu instintivamente quis criar uma redoma para ela. Mais tarde, tive que voltar a trabalhar e, juntas, enfrentamos novidades e instabilidades.

Enquanto isso, o meu bebê também crescia. As primeiras risadas, as primeiras gracinhas, os primeiros gracejos, o primeiro dentinho. As primeiras papinhas, aprender a sentar, a engatinhar e agora, os primeiros passos. Enquanto escrevo esta coluna a minha filha, prestes a completar um aninho, está agarrada na bonequinha. Ela já deu de mamar, pegou seu paninho e tentou cobri-la. Agora fez a bonequinha ninar. Nada disso tem preço.

Ela nasceu em 21 de setembro de 2010, no dia da árvore, duas semanas antes do previsto. Posso dizer que, de uma vez só, fiz as três coisas que um homem deve fazer na vida: tive um filho, plantei uma árvore e comecei a escrever meu livro.

Minha filha se chama Luna. A árvore foi simbólica. Eu fiz um blog, owww.gravidasolteira.blogspot.com que nasceu com a nossa história de mãe solteira e tem dado frutos, ajudando mães no Brasil inteiro. O livro já tem 30 capítulos e continuo escrevendo. Logo será editado. Palmas para Luna que plantou esta semente e espero que continue ajudando muitas mães solo por aí. Parabéns, filha, por ser a minha pequena grande Luna.

Beijos

Flavia

4 comentários:

  1. Parabéns pra princesinha Luna!Beijos em vocês.

    ResponderExcluir
  2. Olá!!!!! Estava lendo a reportagem na revista pais e filhos, sobre mães solteiras e fiquei sabendo sobre seu blog. Fiquei radiante em saber que existe um espaço onde posso dividir minhas angustias de mãe solteira. Farei parte de seus visitantes diários, quem sabe os milhões de problemas relacionados a maternidade solitária diminuem. Abraços

    ResponderExcluir
  3. Oi Aline, seja muito bem vinda!! beijos
    Flavia

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir