segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Presas Fáceis

Mães,
Este final de semana assisti ao filme "Um Grande Garoto", com Hugh Grant - filme antigo, mas me chamou a atenção pelo tema, claro. No filme, Grant é Will Freeman, um homem na faixa dos trinta anos metido a galã que inventa ter um filho apenas para poder ir às reuniões de pais solteiros, onde tem a oportunidade de conhecer mães também solteiras. Will sempre segue a mesma tática: vive com elas um rápido romance e quando elas começam a falar em compromisso ele acaba o namoro.
Sinta uma das frases ditas pelo galã no início do filme. "Sexo com uma mãe solteira dá de dez a zero no tipo de sexo com outras mulheres. Se você escolhe a mulher certa - que foi sacaneada e abandonada pelo pai de seus filhos e não encontrou ninguém depois... se você escolhe uma dessas, ela se apaixona por você só por causa disso. De repente, você se torna mais bonito, um amante melhor, uma pessoa melhor". Claro que, como em todo filme, a grande jornada de Will é que quando o filme chegar ao fim ele saiba tratar as mães solteiras com mais respeito, compaixão, admiração e até ser capaz de entrar em um relacionamento sincero com uma delas.
O que importa, para nós, mães solteiras, é saber identificar Wills em nossas vidas. Afinal, a rejeição nos deixa (falo por mim) tão vulneráveis que qualquer validação do nosso lado "mulher" após o abandono parece um "banquete emocional". E a conta pode ser alta...

8 comentários:

  1. Amooooo...amoooooo...amooo tudo o que escreve!!! Sou sua maior fã, muito sucesso sempre, você e Luninha merece...e tire proveito disso tudo, não tenho dúvida que consegue!! Beijos e boa semana para as duas!!

    ResponderExcluir
  2. Meninaaa, achei teu blog e não posso deixar de segui-la adorei aki...sua coragem, força, determinação...vc está de parabéns!!!
    Bjs e adorei aki

    ResponderExcluir
  3. Flavia sou casada, mas crio meus filho só, sabe porque? No fim das contas quem cria e educa quase sempre são as mães, admiro sua força determinação,sei que a Luana te amará muito por ser está lutadora , adorei seu blog.
    Fique com Deus

    ResponderExcluir
  4. Flavinha, eu já repondi seu mail, não sei se chegou. O meu mail é: paula_mororo@hotmail.com

    ResponderExcluir
  5. É... Sorte de Will que ele é apenas uma personagem... Sorte da minha Tv que eu nunca vi esse filme (srsrs).
    Depois que Pedro nasceu, eu disse NÃO a dois pedidos de casamento (e nenhum foi feito pelo pai do meu filho).
    Os homens admiram mulheres fortes e que sabem manter a dignidade. O filho, só acresceu!!!
    Vamos que vamos...
    Todo mundo sendo feliz!
    Beijo,
    Cinthya
    http://odivaadellas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. oi flavia to gravida de sete pra oito mese e to me sentindo muito desprezada n sei mas o que fazer n posso me aborecer parece que n existo e o bebe é indiferente n sei que rumo vai tomar so n quero sofrer

    ResponderExcluir
  7. Oi Lisa
    Procurei um email para te dar uma resposta pessoal, mas não achei, então vai por aqui mesmo. Os últimos meses são realmente os piores. Pelo menos foram para mim. Sei que neste momento queremos alguém que esteja na mesma viagem que a gente, na mesma sintonia para trocar experiências, falar dos nossos medos, fazer planos... Mas o que posso sugerir é que você tente mudar o foco.
    Mude o foco para você e seu bebê. Pense que vocês existem sim e são maiores que tudo isso. Aliás, um dia você vai olhar para trás e vai se orgulhar da sua força. Este vínculo que está sendo criado com seu filho/a é só de vocês dois.
    Valorize isso. Aproveite este momento único. Sei o quanto nos sentimos fragilizadas e queremos colo... Mas, acredite, você está sendo mulher pra caramba.... Se olhe no espelho e tenha orgulho da sua barriga e da sua feminilidade.
    Falo com experiência de quem já passou por isso. Hoje minha filha tem cinco meses e me sinto muito mais forte. Uma leoa pronta para enfrentar a vida com todas as dores e delícias que ela tem a oferecer.
    Conte comigo
    Flavia

    ResponderExcluir
  8. Parabéns flor, tenho orgulho de mulheres que enxergam a frente, oferecendo amor, força, carinho e alegria aos seus filhos, pelo simples fato de que são eles nossa verdadeira razão de viver. Estou grávida, eu e meu ex namorado não combinamos, e decidi criar meu baby sozinha, ou melhor, eu, Deus e com pessoas queridas como vc para se admirar e espelhar...que Deus abençõe sua vida hoje e sempre...bjs...

    ResponderExcluir