sábado, 15 de janeiro de 2011

Pílulas de pai - por uma mãe

Claro que eu gostaria que fosse diferente, mas hoje tento me satisfazer com o que o pai da Luna consegue nos dar. Ele se apegou a ela depois que ela nasceu. Ele a ama. Ele vai comigo na pediatra, se preocupa se ela está crescendo, com as cólicas, enfim, tem sido pai.
Esta semana fui buscá-la na casa dele e, na volta, quando chegamos na minha casa, ele a fez dormir. Achei a cena linda. Me derreti. Naquele momento queria gritar: "Te amo! Fica com a gente. Vamos tentar ser uma família? Podemos não vir a ser uma família de comercial de margarina, mas podemos ser apenas uma família".

Enfim, apenas peguei a Luninha dormindo. Boa Noite. Pra você também. Ele se foi.

5 comentários:

  1. Flavinha e Luna: só pra dizer que estou aqui...juntinho do coração de vocês!! E, que bom que o pai da Luna a ama de DE VERDADE!

    ResponderExcluir
  2. Ai como dói...
    O pai do meu mora a quase 2.000 quilometos daqui... E só nos vê uma vez a cada 30 ou 40 dias... E ainda quando está aqui, vem um turbilhão de sensações dentro de mim, alegria, raiva, choro, riso.
    Ah Flávia, como eu tenho conhecimento de causa para esse assunto... Como tenho!!!
    Bjos,
    Cinthya

    ResponderExcluir
  3. Ai, essa doeu... alguém anotou a placa do caminhão?

    Será por que sonho com a familia do comercial da margarina também?

    Putz, sei lá, eu teria no minimo dormido no chão do quarto. Mas... fantasias a parte, quem diz que o mundo faz sentido.

    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Bah guria, sei bem o que o sonho do comercial de margarina...
    Mas te digo que não basta amor um pelo outro e pelo filhote, é preciso de muitas outras coisas, sobretudo um estupendo grau de companheirismo e não egoísmo. Eu achei que tinha o comercial de margarina e agora tudo se desmancha com mágoas sobrando em ambos os lados. Muitas vezes pensei se não teria sido melhor não ter ficado com o pai da minha filha (estávamos separados - para mim definitivo - resolvemos tentar novamente, quando descobri a gravidez), mas a verdade é que a gente nunca pode prever nada, só imaginar.
    Agora estou me vendo numa nova etapa, tb sou mãe solteira (ou autônoma, né?). Um novo mundo a ser desbravado. Ainda tou elaborando tantas novidades para poder atualizar meu blog...
    Boa sorte para nós, adorei teu blog.
    Bjão

    ResponderExcluir
  5. Noooossa, essa é a melhor e a pior parte de ser mãe solteira com pai presente. Sei que é importante pro meu filho, mas é imensamente difícil ter que conviver tanto com o pai quanto com a família dele... Em fim, agora se balance, como diz minha mãe.

    ResponderExcluir